Lubrificantes: respostas para as dúvidas mais comuns dos clientes

Você sabe escolher o melhor óleo lubrificante na hora da troca?

Lubrificantes são, talvez, um dos principais componentes do motor de um veículo. São eles que fazem o motor funcionar corretamente, com menos desgaste e atrito, garantindo mais qualidade e desempenho.

Diversos detalhes devem ser considerados no momento da escolha do óleo lubrificante ideal para um veículo.

Tipos de óleo, números e letras. O que significam?

Óleos lubrificantes são divididos em três tipos: mineral, sintético e semissintético. Cada um recomendado para diferentes tipos de motor e uso.

Neste artigo, vamos apresentar algumas das principais perguntas que podem surgir sobre que óleo lubrificante escolher na hora da troca.

Já publicamos um infográfico em nosso blog com diversas informações sobre óleos lubrificantes! Clique aqui e confira esse conteúdo especial, feito para você!

Ao final do texto, caso você tenha dúvidas, sugestões e/ou informações adicionais sobre este assunto, não se esqueça de deixar seu comentário!

Boa leitura para você!

Como escolher o lubrificante certo para cada tipo de motor?

A grande variedade de opções de óleo lubrificantes automotivos leva o consumidor a ficar confuso no momento de escolher o lubrificante para seu veículo.

Uma maneira simples de contornar essa dúvida é dar uma olhada no manual do carro.

Veículos automotores possuem manuais que indicam o funcionamento correto de diversos componentes do carro, bem como dicas e sugestões de conservação e cuidado do veículo e de suas peças.

Ali também encontra-se a indicação do tipo de óleo lubrificante sugerido para o motor do seu carro, que deve ser seguida no momento da troca.

Alguns consumidores tendem a escolher o lubrificante pelo preço ou por costume. Nossa dica é seguir a recomendação do fabricante sempre.

Isso garante o bom funcionamento e melhor desempenho.

Quais os tipos de óleo lubrificante automotivo e qual a diferença entre cada um?

Lubrificantes automotivos se dividem, basicamente, em três tipos: mineral, sintético e semissintético.

O óleo lubrificante mineral é uma combinação de óleos básicos minerais, obtidos pelo processo convencional do petróleo, e aditivos. É o tipo mais tradicional disponível no mercado.

O lubrificante mineral se caracteriza por fatores como o preço – é mais barato; e durabilidade inferior, fazendo com que sua troca seja mais frequente.

O óleo sintético é produzido a partir da mistura de óleos básicos sintéticos e aditivos. Possui altíssimo grau de pureza e desempenho superior aos semissintéticos e minerais.

É o lubrificante que proporciona economia de combustível, menor consumo de óleo, maiores intervalos entre as trocas e partida rápida a baixas temperaturas.

O óleo lubrificante semissintético é formulado com uma base semissintética mais aditivos.

A base semissintética é uma mistura de óleos básicos minerais e sintéticos, que apresenta um desempenho superior ao do mineral sem chegar aos níveis do sintético.

O que é a viscosidade do lubrificante e qual sua importância na hora de escolher o óleo lubrificante ideal?

A viscosidade é a principal característica que precisa ser observada em um óleo lubrificante.

Ela representa a fluidez do óleo sob determinada temperatura. Ou seja, mais fluido com a temperatura alta e menos fluido com a temperatura ambiente.

Dessa forma, garante-se um lubrificante mais fluido e resistente, que chega rapidamente às peças na partida do motor e mantém uma película protetora durante o funcionamento do veículo, minimizando o desgaste e assegurando um bom desempenho.

É preciso que o óleo lubrificante escolhido possua a viscosidade ideal para atender às demandas de cada carro. Cada motor é projetado e demanda uma determinada viscosidade para funcionar com a performance esperada.

Usar um lubrificante inadequado, com uma viscosidade não indicada, pode danificar o motor, comprometendo seu desempenho e durabilidade.

Assim, escolher um lubrificante com a viscosidade ideal também colabora para a economia na  manutenção do veículo.

O que significam as letras e números nas embalagens do lubrificante?

As embalagens de óleo lubrificante devem apresentar informações essenciais, que ajudem o consumidor a escolher a opção mais adequada para seu veículo.

Existe uma grande variedade de óleos que parecem iguais. Quanto mais detalhes você souber explicar ao cliente, mais pontos você ganhará com ele.

Abaixo você pode ver a representação ideal de uma embalagem de óleo lubrificante e identificar cada informação no rótulo.

lubrificantes havoline

A principal informação a ser observada no rótulo é o Grau SAE – ou viscosidade SAE. É representado por um código, composto de números e letras, que classifica o óleo lubrificante de acordo com sua viscosidade.

A SAE – Society of Automotive Engineers – é a entidade responsável por definir os parâmetros para a classificação da viscosidade dos óleos automotivos.

As letras e números indicados pelo SAE mostram a viscosidade daquele óleo lubrificante. Quando apresentar um único número, indica que aquele lubrificante é monoviscoso. Se forem dois números, como na imagem acima, é um óleo multiviscoso.

Na imagem acima, o óleo possui um grau SAE é 5W-30. Nele, o primeiro número, 5W, mostra a viscosidade do produto quando o motor está em temperatura ambiente – mais frio que durante o funcionamento e crítico nas partidas.

Quanto mais baixo este número, maior será a fluidez do óleo lubrificante em baixa temperatura. Essa característica possibilita melhor circulação do óleo lubrificante, fazendo com que alcance peças críticas mais rapidamente.

O segundo número – 30 – diz respeito à viscosidade no motor em alta temperatura. Nestas situações, o óleo proporciona a formação de uma película adequada para a boa lubrificação do motor quente.

Quando comparamos óleos lubrificantes, devemos analisar o seguinte: o óleo 5W-30 apresenta maior fluidez que o 10W-30, quando o motor estiver sob temperatura ambiente. Entretanto, ambos apresentam a mesma viscosidade – 30 – quando o motor está quente.

Na hora de escolher o óleo lubrificante, consulte sempre a recomendação do fabricante do veículo pois este é quem define a viscosidade mais apropriada para o projeto do motor do seu veículo.

Por que os óleos lubrificantes da linha Havoline, da Texaco, são referências no mercado de lubrificantes?

Toda a linha Premium de óleos lubrificantes sintéticos Havoline ProDS da marca Texaco é desenvolvida com tecnologia de ponta, superando os níveis de desempenho e severidade da API.

O API é o Instituto de Petróleo Americano, entidade que estabelece um conjunto de testes que define os níveis mínimos de  desempenho para o óleo lubrificante para motor automotivo.

Continue lendo esses outros artigos para saber mais:

O objetivo da Texaco e da linha Havoline é promover a inovação, tecnologia e eficiência para o motor dos veículos dos seus clientes. Nossos produtos carregam a garantia de qualidade, performance e desempenho.

Esperamos que esse artigo tenha apresentado informações práticas no momento de responder as principais perguntas de seus clientes.

Caso haja alguma dúvida, comente abaixo! Obrigado pela leitura!

Guia de produtos Havoline Texaco

Especialista Técnico formado pela Universidade Metodista de Piracicaba em Engenharia Industrial Mecânica, Pós Graduado em Marketing. Com mais de 22 anos de experiência no setor de Petróleo, sendo 9 anos na área de vendas de lubrificantes industriais e automotivos, e os demais na área de suporte técnico e desenvolvimento de lubrificantes para mercado brasileiro.

25 comments

  1. Rafael says:

    Boa tarde ! Sei que a TEXACO fabrica os óleos do cambio CVT da honda, porém o distribuidor me informou que não comercializam esse produto.
    Se ele é fabricado pela TEXACO, porquê não é vendido como o 0W20 por exemplo ???

    • Delton Stabelini Delton Stabelini says:

      Olá, Rafael. Tudo bem?
      Essa é uma questão de ordem contratual e a opção de produzir somente para a montadora Honda é momentânea, podendo ser modificada no futuro. Abraço!

  2. Alex Vaz says:

    Olá, tenho um Siena EL 2014 1.0, no manual indica oleo 5W30 sintético, porem o proprietario anterior usava 15W40 semi sintético, na hora de trocar oleo posso voltar usar 5W30 ou continuo com 15W40?
    OBS veiculo esta com 65000 km.

    • Delton Stabelini Delton Stabelini says:

      Alex, boa tarde! Tudo bem? Sim, você pode voltar a usar o sintético, mas a primeira troca de óleo e filtro deve ser feita com uma redução de 50% do período de troca. Abraço!

  3. Thiago Santana Mendes says:

    Bom dia.
    Tenho um GM Astra 2006 e uso nele o Havoline 5W30 API SN. No manual dele diz que os tipos de óleos especificados são de classificação API-SJ, ou superior de viscosidade. É nele também aparece o óleo 5W30 que já uso nele. Posso continuar a usar o Havoline? Pois vocês são os fabricantes de óleo para a GM.
    Obrigado

    • Delton Stabelini Delton Stabelini says:

      Marcio, bom dia! Tudo bem? A Recomendação da Ford é para uso de um óleo de viscosidade SAE 5W-30, não recomendo usar um SAE 10W-40. Abraço!

    • Delton Stabelini Delton Stabelini says:

      Junior, bom dia! Quando o carro possui alta quilometragem e sempre foi realizado as manutenções e produtos recomendados, não existe motivo para usar produtos de maior viscosidade. Abraço!

    • Delton Stabelini Delton Stabelini says:

      Ramon, bom dia! O fabricante do veículo é quem define e recomenda a melhor viscosidade para derteminado modelo de motor, mantenha a recomendação do fabricante. Abraço!

  4. Max says:

    Boa noite!
    Tenho um Honda city e no manual pede o óleo 10w30 mineral e a Texaco não tem esse tipo de óleo mineral, posso colocar o 10w30 semi sintético ?

    • Delton Stabelini Delton Stabelini says:

      Olá, Max! Tudo certo? Sim, você pode usar um semissintético nesse veículo o nome do produto é Havoline Semissintético SAE 10W-30 API SN. Abraço!

  5. Arlionor Viana Vasconcelos says:

    Bom dia!hoje algo que me preocupa é a futura situação que ficará no mercado os lubrificantes Texaco(chevron) já que a Ipiranga comprou no Brasil.como será nos distribuidores já que a fusão implicará em uma nova marca no mercado?como ficará então essa situação?

  6. Sidney Teixeira Silveira says:

    Prezado, a recomendação do fabricando do meu veiculo, Ford KA 2011, para o óleo da direção hidráulica é o TEXAMATIC 7045E. Entretando, estou com dificuldade para em contrar na minha cidade (Salvador-Ba), neste caso, posso usar o TEXAMATIC B como substituto.

  7. Paulo César Rodrigues Pereira says:

    Bom dia, Delton!

    Tenho moto e utilizo o óleo SAE 10W-30 conforme manual recomenda, a troca é feita a cada 1000 km.
    Moro na cidade de Cuiabá uma região muito quente, e quero utilizar um óleo onde eu possa realizar a troca a cada 2000km.

    Gostaria de saber qual óleo você possa me indicar?

    • Delton Stabelini Delton Stabelini says:

      Paulo, bom dia! Como você não mencionou a marca e modelo e também o ano de fabricação da sua motocicleta, é importante reforçar que a quilometragem é sempre definida pelo fabricante do equipamento. Exemplo: a Honda, para as motocicletas mais novas de até 150 cc, recomenda a troca a cada 4000 km dependendo do regime operacional. Verifique no manual essa informação e adote o período recomendado pelo fabricante pois é ele quem define os períodos de troca. Abraço!

  8. Tiago José de Almeida says:

    Boa noite… eu comprei um gol 1.8 ap 94, no manual pede pra usar oleo 20w40, mais esse óleo no mercado não achei…. qual óleo correto devo usar… desde já agradeço!
    Att: Tiago Almeida, Sorocaba SP.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *