Escolhendo o óleo lubrificante: Atrito, Desgaste e Viscosidade

Você sabe qual a relação entre o atrito, desgaste e a viscosidade? Neste artigo, explicaremos tudo o que você precisa saber para mostrar para o seu cliente a importância de escolher o lubrificante correto.

O atrito é, em alguns casos, necessário e útil, como, por exemplo, nos sistemas de freio. No entanto, nem sempre é desejável, uma vez que dificulta o movimento e consome energia. Nessa condição, o atrito precisa ser o menor possível.

Este é o caso quando falamos do motor de um veículo. E, para reduzir o atrito de maneira satisfatória, é necessário contar com um óleo lubrificante que apresente a viscosidade correta.

Deseja aprender mais sobre viscosidade? Leia esse outro artigo que preparamos para você!

A seguir, você aprenderá mais sobre o atrito no motor e qual é o papel do óleo lubrificante no desempenho e proteção do automóvel. Confira:

O que é atrito e quais são seus tipos?

Talvez você conheça a seguinte lei da Física: “Sempre que uma superfície se mover em relação a outra superfície, haverá uma força contrária a esse movimento”.

Esta força chama-se atrito ou resistência ao movimento, que pode ser descrita a partir das seguintes características:

  • Se opõe ao movimento;
  • Depende da natureza e da rugosidade da superfície (coeficiente de atrito);
  • É proporcional à força normal de cada corpo;
  • Transforma a energia cinética do corpo em outro tipo de energia que é liberada ao meio.

Existem diferentes tipos de atrito:

  • Força de atrito cinético (ou dinâmico): É aquele que atua quando há deslizamento dos corpos. Uma força que surge em oposição ao movimento de objetos que estão se movendo;
  • Força de atrito estático: É aquele que atua quando não há deslizamento dos corpos. Atua sobre o objeto em repouso e dificulta ou impossibilita que ele inicie o movimento.

Quando existe uma camada fluida (líquida ou gasosa) separando as superfícies em movimento, isso é chamado de atrito fluido. O fluido que forma essa camada chama-se lubrificante.

O atrito no motor de um carro gera o desgaste de suas peças móveis.

A camada de lubrificante reduz a força de atrito entre as partes, facilitando o movimento e reduzindo o desgaste causado por ela. Entenda melhor:

O que gera o desgaste?

Quando duas partes móveis de um motor estão em atrito, o contato faz com que algumas partículas do material se separem. Essas partículas são responsáveis pela formação de borra e acúmulo de impurezas no motor.

Muito embora o objetivo imediato da lubrificação seja reduzir o atrito, podemos considerar que outra finalidade seja diminuir o desgaste.

Isso significa que utilizar o óleo lubrificante correto pode aumentar a vida útil do motor, já que conserva suas partes móveis e evita o acúmulo de impurezas que podem causar entupimentos, queda de performance ou aquecimento excessivo.

Como a viscosidade do óleo lubrificante ajuda a reduzir o atrito?

Agora você já sabe: uma das principais formas de aumentar a vida útil do motor reduzindo o atrito é usando o óleo lubrificante certo. Mas qual o melhor óleo lubrificante para esse trabalho?

Bem, tudo depende do motor em questão e da viscosidade de lubrificante necessária para ele. No manual dos carros, o fabricante normalmente recomenda uma viscosidade SAE específica para o veículo.

Normalmente, o recomendado é um óleo lubrificante com multiviscosidade. Vamos entender melhor por que:

Viscosidade é a medida da resistência do óleo ao escoamento. Essa resistência, ou atrito do fluido, evita que o óleo seja expelido da área entre as superfícies do motor quando estas se movem suportando carga ou pressão.

Na prática, a viscosidade do óleo lubrificante precisa atender a duas exigências bem distintas: o produto tem que ser viscoso o suficiente para criar uma película protetora entre as partes do motor, mas não pode ser tão grosso a ponto de oferecer resistência ao movimento das peças.

É aí que entra a multiviscosidade. Óleos lubrificantes multiviscosos são capazes de apresentar fluidezes diferentes, de acordo com a temperatura do motor.

E os Aditivos?

A viscosidade, apesar de importantíssima, não é o único fator que deve ser levado em consideração ao escolher o melhor óleo lubrificante.

Os aditivos são um conjunto de produtos químicos que, em conjunto com a viscosidade ideal, ajudam a proteger o motor do carro contra o atrito.

Por exemplo, todos os produtos da linha Havoline estão equipados com a Tecnologia ProDS. Aliando os melhores aditivos aos produtos multiviscosos, você garante:

  • Limpeza do motor;
  • Excelente proteção contra desgaste e corrosão;
  • Redução de emissões de poluentes;
  • Manutenção do desempenho original do motor do carro;
  • Aumento de vida útil do motor;
  • Melhor desempenho e potência do motor;
  • Diminuição de riscos de problemas na partida;
  • Menor emissão de gases poluentes;
  • Economia de combustível, uma vez que o motor realiza “menos força” para rodar.

O óleo lubrificante Havoline com Escudo Protetor, cria um escudo que protege o motor contra as impurezas geradas pela queima do combustível. São justamente esses contaminantes que aumentam o atrito e o desgaste das peças do carro.

Conclusão

A melhor proteção contra o atrito e desgaste do motor, certamente, é o óleo lubrificante correto. Aliando um produto com a viscosidade recomendada pelo fabricante aos melhores aditivos disponíveis, é possível garantir melhor desempenho, vida útil mais longa do motor e até mesmo economizar no combustível.

A Texaco trabalha para trazer sempre o melhor da tecnologia para o motor dos seus clientes. É por isso que a linha Havoline de óleos sintéticos e semissintéticos conta com a tecnologia ProDS em todos os seus produtos.

Clique aqui e conheça a diferença entre os produtos da família Havoline.

Que tal descobrir mais formas de melhorar a sua oficina cada vez mais? Confira esses outros artigos que separamos para você:

Continue acompanhando nosso blog para ficar por dentro das últimas novidades da área e encontrar dicas de gestão para seu negócio!

E você, já recomenda o melhor óleo lubrificante para seus clientes? Deixe sua opinião sobre este artigo nos comentários e não se esqueça de perguntar caso tenha ficado com alguma dúvida. Ficaremos felizes em ajudar!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *