[Parte 1] Foco em Resultados: diretrizes para o gestor que busca rentabilidade

Quando temos um objetivo para alcançar e acreditamos nesta conquista, sabemos que a soma da dedicação, comprometimento e motivação será o principal combustível para o sucesso: apresentamos a gestão com foco em resultados.

Segundo o Anuário do Transporte 2018 divulgado pela Confederação Nacional do Transporte (CNT), o transporte rodoviário foi o responsável pela movimentação de 61% das cargas comercializadas em todo o país, onde a malha rodoviária pavimentada cresceu apenas 0,5% no período entre 2009 e 2017.

Nesses oito anos, a proporção de rodovias pavimentadas se manteve a mesma: apenas 12,4% do total de 1.720.700 quilômetros. Esse dado evidencia um descompasso com o crescimento da frota de veículos, que foi de 65,4% no período de 2009 e 2017, além do aumento das movimentações de cargas no mercado interno.

Começa, então, a grande tarefa do gestor de frota: atingir os melhores resultados com o uso dos poucos recursos disponíveis.

Como é função do gestor disponibilizar veículos em condições adequadas para o transporte de cargas respeitando as diretrizes de uma relação comercial entre cliente e empresa, será indispensável que ele aja com foco nos resultados operacionais estipulados pela transportadora.

Independentemente do porte ou do mercado em que a organização atua, a forma com a qual se escolhe administrar uma empresa é parte essencial para determinar se suas metas principais serão ou não atingidas.

Seria possível existir algum modelo de gestão capaz de auxiliar no aumento da produtividade, obtenção de resultados e ainda gerar um nível elevado de engajamento de colaboradores em um negócio?

É aí que a chamada gestão com foco em resultados aparece como uma opção que vem sendo cada vez mais adotada no ambiente corporativo.

O que é gestão com foco em resultados?

 

Como o próprio nome sugere, a gestão com foco em resultados é uma forma de administrar tendo os resultados como foco principal das atuações de todos os profissionais envolvidos no processo.

 

Dessa forma, busca-se uma melhoria no desempenho ao voltar os olhares para as metas a serem atingidas, e não apenas para os processos, como ocorre no modelo de gestão tradicional.

Características do modelo

 

A palavra-chave sempre será uma: resultados – e continuará sendo em todos e quaisquer processos em uma transportadora.

Para optar por esse modelo de gestão, você precisa entender que a aplicação desse conceito trará algumas características essenciais aos negócios:

 

A responsabilidade é de todos

Todos os funcionários, independente das diferentes funções que desempenham na organização, serão responsáveis pelos resultados gerados pela empresa. Isso inclui até mesmo as perdas ou oportunidades desperdiçadas.

E você sabe qual a chave para obter bons resultados? É o engajamento!

Manter a equipe unida e motivada é essencial para alcançar as metas da empresa. Outro aspecto relacionado ao engajamento é a comunicação: clareza e eficácia neste processo são fundamentais.

Realizar eventos e confraternizações fora do ambiente de trabalho, com o objetivo de promover a integração entre os funcionários, é uma prática comum a várias empresas e costuma trazer bons resultados, gerando a união do grupo de colaboradores.

Em nosso blog, já demos dicas para realizar uma gestão de pessoas eficiente e motivar a equipe. Você pode clicar aqui para conferir!

Além disso, todos os profissionais estarão envolvidos na seleção dos objetivos a serem alcançados e deverão ter seus esforços reconhecidos.

 

Integração das unidades de negócios

As diversas unidades de negócios deverão contribuir com cada uma de suas tarefas específicas, mas deverão trabalhar juntas, de maneira integrada e voltadas para resultados em comum.

Em síntese, a sinergia é essencial neste processo.

Com isso, as relações entre lideranças e liderados são mais próximas, com uma troca de informações mais fluida.

Para o líder de uma empresa, é necessário entender que funcionalidades e habilidades são pontos complementares. Logo, essa troca de informações é essencial para evidenciar tais aspectos.

Uma metodologia de trabalho bastante conhecida e que costuma fomentar a integração das unidades de negócios é a Open Space Technology, cujos participantes se reúnem no mesmo espaço, normalmente em círculo, para facilitar a troca de informações.

 

Resultados e não processos

Os resultados vêm em primeiro lugar, seja qual for o processo adotado.

Aqui, o processo continua sendo importante para agilizar, padronizar e dar escala ao negócio.

No entanto, é essencial que ele seja sempre revisto, em termos de funcionalidade, pois o ideal é que o processo adotado não se torne um gargalo na operação.

Ou seja, os resultados desejados são o foco, não os variados processos e procedimentos desempenhados na organização.

Outra prática que deve ser adotada é o compartilhamento das metas e resultados com a equipe para estimular o comprometimento de todos.

 

Quais as vantagens para uma empresa?

Melhor comunicação e integração

Como há uma relação mais próxima entre os funcionários de diversos níveis hierárquicos, a comunicação no ambiente de trabalho é melhorada.

Os processos se tornam mais integrados a partir do maior compartilhamento de informações, da maior frequência de feedbacks e colaboração entre os profissionais dos mais variados cargos.

Experiências diversas são compartilhadas e todos aprendem com todos. Tudo isso resulta em um ambiente organizacional muito mais harmonioso.

 

Mais motivação

Sim, os funcionários são parte essencial para que os resultados da empresa sejam alcançados. Mas, nesse modelo, eles são ainda mais do que isso: todos são considerados responsáveis e participam de perto nos processos de definição de objetivos.

Portanto, existem ações que podem ser realizadas para potencializar o desempenho da equipe. O reconhecimento é uma delas: o líder deve valorizar os feitos dos funcionários, elogiando os pontos positivos e fornecendo feedbacks construtivos.

Outro ponto importante é oferecer oportunidades de crescimento na empresa para que os funcionários possam atuar em cargos que os desafiem a trazer a sua melhor versão profissional.

Ao serem valorizados e sentirem que verdadeiramente fazem parte dos negócios, a motivação e autoestima dos profissionais aumentam.

Vale lembrar, também, que a motivação também está ligada a uma boa gestão. Logo, é necessário entender os pontos fortes da sua equipe para que elas atuem no lugar certo.

Assim, os colaboradores irão atuar de forma mais produtiva e, consequentemente, os resultados serão cada vez melhores.

 

Objetivos mais claros

Quando resultados são construídos e planejados de maneira conjunta, os objetivos da empresa e de cada um de seus colaboradores parecem ser muito mais claros.

E, com objetivos mais evidentes definidos no planejamento estratégico, fica mais fácil alcançá-los.

 

Mais produtividade

Profissionais que se sentem parte da organização, responsáveis pelos resultados, com objetivos muito claros e constantemente engajados são sinônimo de uma maior produtividade da empresa.

Falando em produtividade, você pode ler um pouco mais sobre como potencializar o desempenho da sua frota acessando este artigo.

 

Como colocar este modelo de gestão em prática?

A gestão com foco em resultados deve obedecer a 5 principais etapas:

1 – Revisão dos objetivos da empresa

É preciso que os gestores tenham uma visão mais ampla dos negócios, conhecendo as características e intenções da empresa.

É imprescindível refletirem e estarem seguros dos objetivos da organização – tanto a curto, quanto a longo prazo.

2 – Definição dos objetivos do time

Lideranças e liderados devem definir juntos os objetivos e resultados de seus trabalhos.

Eles devem estar de acordo com tais metas e com os prazos estabelecidos para alcançá-las.

3 – Monitoramento do processo

É muito importante acompanhar o processo para atingir os resultados buscados antes do prazo final estabelecido.

Assim, com certa frequência, reúna líderes de equipe e liderados para avaliarem juntos as atividades desempenhadas até então e compará-las com os objetivos determinados. Essa é a etapa ideal para detectar e realizar mudanças, se necessárias.

4 – Avaliação de desempenho

Essa parte consiste em avaliar o desempenho dos colaboradores, tanto individualmente, quanto em grupo.

Vale considerar questões como: “Os objetivos acordados foram atingidos?”.

5 – Participação nos resultados

Quando a alta direção define qual será o percentual correspondente à participação nos resultados dos colaboradores envolvidos logo no início do projeto, o comprometimento se transforma em motivação para o alcance das metas.

 

Vale a pena adotar o modelo de gestão com foco em resultados?

A gestão com foco em resultados traz vantagens comprovadas às empresas ao adotar um modelo que traz maior flexibilidade nos processos, um melhor relacionamento corporativo interno e maior motivação entre os colaboradores.

Entretanto, antes de eleger o modelo, é essencial refletir e conseguir determinar os objetivos reais da organização. E não é só isso: é preciso colaboração. Todos os profissionais devem trabalhar de maneira conjunta e integrada.

Partindo desses dois pontos, os resultados estabelecidos poderão finalmente ser alcançados e seus negócios conhecerão uma maior produtividade através do modelo de gestão. Nesta ação de planejar, organizar, executar, coordenar e controlar recursos humanos, materiais e financeiros, facilitam na tomada de decisões.

Compreender como cada decisão está relacionada com o resultado e reorganizar o processo administrativo com foco em resultados proporciona ganhos de eficiência e de desempenho.

 

Em nosso próximo artigo, continuaremos abordando o tema, cujo foco será a aplicação da metodologia para o gestor de frota. Você pode acompanhar o conteúdo clicando em: [Parte 2] Foco em Resultados: diretrizes para o gestor que busca rentabilidade.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *