Aquecimento de motores a diesel: Causas e Consequências

Na atual situação econômica do segmento de logística e transportes, todas ações que permitam a diminuição dos custos e a maximização do uso do equipamento devem ser adotadas. E, para isso, uma das atividades principais é: evitar o aquecimento de motores a diesel.

Os assuntos relacionados a caminhão, em geral, são focados em: conservação e manutenção dos equipamentos e peças. Mas, agora é hora de falar de uma das mais importantes peças do seu caminhão. Para muitos ele é o coração do veículo: O motor.

  • Conhecendo o motor a diesel
  • Classificação dos motores a diesel
  • Componentes de um motor a diesel
  • Sistema de arrefecimento
  • Função do sistema de arrefecimento
  • Componentes do sistema de arrefecimento de um motor a diesel
  • Causas do aquecimento de motores a diesel
  • Aquecimento de motores a diesel: Como evitar
  • Conclusão

Conhecendo o motor a diesel

O motor a diesel é uma máquina que transforma energia térmica em energia mecânica. A energia térmica é conseguida pela queima do óleo diesel, o que se dá dentro de cada cilindro do motor.

No motor diesel, o ar é comprimido adiabaticamente com uma taxa de compressão, tipicamente, entre 15 e 20. Esta compressão aumenta a temperatura para que se tenha a temperatura de ignição da mistura de combustível, da qual é formada através da injeção de combustível, da qual é formada através da injeção, uma vez que o ar é comprimido. O motor a diesel é do tipo de combustão interna.

Classificação dos motores a diesel

Segundo sua aplicação, são classificados em 4 tipos básicos:

  • Estacionários: Destinados ao acionamento de máquinas estacionárias, tais como Geradores, máquinas de solda, bombas ou outras máquinas que operam em rotação constante;

  • Industriais: Destinados ao acionamento de máquinas de construção civil, como:  tratores, carregadeiras, guindastes, compressores de ar, máquinas de mineração, veículos de operação fora-de-estrada, acionamento de sistemas hidrostáticos e outras aplicações onde se exijam características especiais específicas do acionador;

  • Veiculares: Destinados ao acionamento de veículos de transporte em geral, tais como caminhões e ônibus;

  • Marítimos: Destinados à propulsão de barcos e máquinas de uso naval. Conforme o tipo de serviço e o regime de trabalho da embarcação, existe uma vasta gama de modelos com características apropriadas, conforme o uso. (Laser, trabalho comercial leve, pesado, médio-contínuo e contínuo)

Além dos segmentos de aplicações, os motores Diesel podem ser classificados pelo tipo de sistema de arrefecimento que utilizam, que normalmente são água ou a ar, e pelo número e disposição dos cilindros. Esses que podem estar dispostos em linha, quando os cilindros se encontram em linha reta, ou em V, quando em fileiras oblíquas.

Linha de lubrificantes Ursa - Texaco

Componentes de um motor a diesel

Os motores de combustão interna possuem diversos componentes que exigem diferentes funções e cuidados a serem tomados para mantê-los em bom estado e funcionamento, como os anéis de pistão, os mancais e as bombas de óleo e água. Falaremos agora um pouco sobre as especificidades dos principais componentes do motor: móveis e estacionários.

  • Estacionários: Bloco, Cabeçote, Cárter, Coletor de Admissão e Coletor de Escape.

  • Móveis: Biela, Pistão, Anel, Virabrequim, Eixo Comando de Válvulas, Válvulas, Conjunto de Acionamento das Válvulas, Polia, Anti-Vibrador, Bomba de Óleo e Bomba D’Água.

Componentes Estacionários

  • Bloco: É o motor propriamente dito, onde se localizam os cilindros para a colocação das camisas. Na parte inferior encontramos os alojamentos dos mancais, onde se apoia o virabrequim e em muitos casos, o eixo comando de válvulas.

  • Cabeçote: Serve como tampa dos cilindros, contra a qual o pistão comprime a mistura combustível/ar.

  • Cárter: Tampa inferior do bloco, que protege os componentes inferiores do motor e onde se aloja o óleo lubrificante.

  • Coletor de Admissão: Recebe e distribui aos cilindros o ar aspirado pelo pistão, através do filtro de ar.

  • Coletor de Escape: Recebe os gases queimados para lançá-los à atmosfera, através do tubo de escape e silencioso.

Componentes móveis

  • Biela: Braço de ligação entre o pistão e o virabrequim; recebe o impulso do pistão, transmitindo-o ao virabrequim.

  • Pistão: É a parte móvel da câmara de combustão. Recebe a força de expansão dos gases queimados, transmitindo-a à biela.

  • Anéis: Compensam a folga entre o pistão e o cilindro, dado a vedação necessária para uma boa compressão do motor e um melhor rendimento térmico.

  • Virabrequim: Eixo motor propriamente dito, o qual na maioria das vezes é instalado na parte inferior do bloco, recebendo ainda as bielas que lhe imprimem movimento.

  • Eixo Comando de Válvulas: A função deste eixo é abrir as válvulas de admissão e escape. É acionado pelo virabrequim.

  • Válvulas: Tem como finalidade permitir a entrada do ar no interior do cilindro (Válvulas de Admissão) e permitir a saída dos gases queimados (Válvulas de Escape).

  • Conjunto de acionamento das válvulas: Compreende o tucho e uma haste, que o interliga ao balancim, sendo que este atua diretamente sobre a válvula.

  • Polia e Anti-Vibrador: Transmite através da correia, o movimento de rotação do virabrequim ao alternador e à bomba, e absorve as vibrações do funcionamento do motor.

  • Bomba de Óleo: Mecanismo cuja finalidade é bombear o óleo do cárter e enviá-lo, sob pressão, aos diversos pontos do motor que necessitam de lubrificação.

  • Bomba d’ Água: Mecanismo destinado a efetuar a circulação de água pelo motor e radiador, para arrefecimento do motor.

Causas do aquecimento de motores a diesel

Veja o que acontece quando um motor a diesel está aquecendo.

Aqui estão possíveis falhas no sistema de arrefecimento que podem ocasionar o superaquecimento no motor. Lembrando que de acordo com as configurações e aplicações do motor a diesel podem haver outras falhas e anormalidades que levem ao superaquecimento:

Líquido arrefecedor

  • Qualidade do líquido arrefecedor
  • Diluição por água no líquido arrefecedor
  • Presença de contaminantes

Sistema de arrefecimento

  • Presença de ar no sistema de arrefecimento
  • Abastecimento ou complemento incorreto do sistema
  • Vazamento de gases de combustão para o sistema de arrefecimento

Radiador:

  • Obstrução das aletas, impedindo/reduzindo o fluxo de ar
  • Galerias (Canaletas) do radiador obstruídas, impedindo ou reduzindo o fluxo do líquido arrefecedor

Hélice do ventilador

  • Mau funcionamento do dispositivo de acionamento (Correias, tensionadores de correia, motor hidráulico, etc.)
  • Aquecimento do motor após serviços realizados, pode indicar instalação invertida da hélice ou do dispositivo de acionamento

Tampa do radiador

  • Danos na tampa do radiador impedem que o sistema atinja sua pressão especificada de trabalho, ocasionando o superaquecimento.
  • Lembre-se que mesmo com aditivos que aumentam o ponto de ebulição, o fluido enquanto está sob uma pressão de 1 ATM tendem a ferver a uma temperatura menor que quando estão sob pressão maior.

Válvula termostática

  • Quando ocorre uma falha no termostato, o líquido arrefecedor circula continuamente apenas no motor, sem ser direcionado ao radiador para fazer a troca de calor.

Mangueiras e mangotes

  • Obstruções internas das linhas do sistema
  • Mangotes fabricados com material fora do especificado, instalados em linhas de sucção podem se deformar reduzindo o fluxo do arrefecedor

Bomba d’água

  • Falha no sistema de acionamento da bomba
  • Falha do conjunto rotativo

Carga do sistema

  • Sobrecarga do motor diesel.
  • Sobrecarga do equipamento. De acordo com a aplicação do motor uma sobrecarga em outro sistema, pode elevar a temperatura deste, acarretando o aumento da temperatura do motor.

50 dicas para reduzir o consumo de combustível

Aquecimento de motores a diesel: Como evitar?

Quem vive nas estradas do Brasil, com certeza já viu esta cena várias vezes: veículos parados em virtude do aquecimento de motores a diesel.

Mas o que causa este problema e como você pode evitá-lo?

Confira aqui algumas dicas para evitar e para lidar com esta situação.

  • Mantenha a manutenção em dia. Caminhão revisado tem muito menos chances de parar na estrada.
  • Verifique o nível de água regularmente. O principal motivo da causa do aquecimento de motores a diesel é porque não há água circulando e resfriando as engrenagens.
  • Verifique também o óleo com regularidade. Se o nível de óleo também estiver abaixo do recomendado, pode provocar o superaquecimento ou pior, danos permanentes ao seu motor.
  • Procure fazer suas revisões em um local da sua confiança e com pessoas experientes.
  • A proporção entre água e aditivo deve estar correta, caso contrário, ao invés de circular água no sistema de resfriamento será o vapor.
  • O motor superaqueceu? Pare o veículo, espere esfriar e então confira o nível de água. Abra a tampa devagar e com todo cuidado, pois se estiver muito quente o vapor que sai dali pode queimar a sua pele!
    Complete o reservatório com a quantidade de água indicada e só então retorne para a estrada. E não esqueça de ir a um mecânico assim que possível, para ter certeza que o motor não está danificado.

Conclusão

Cabe ao gestor de frota buscar as melhores alternativas para disponibilizar os veículos para o transporte dos produtos com os menores custos e dedicar uma atenção especial para os motores será essencial. Para tal recomendamos:

  1. Tenha acesso a todas as informações sobre manutenção e desempenho dos componentes dos veículos da frota;
  2. Respeite o prazo para uso dos componentes do motor e principalmente do sistema de arrefecimento;
  3. Utilize o Check List feito pelos motoristas como fonte de informação para consultar anormalidades relacionados aos motores;
  4. Em qualquer atividade de manutenção de veículos, informe-se sobre eventuais anomalias;
  5. Confirme se todos os condutores dos veículos conhecem o funcionamento do painel de instrumentos;
  6. Selecione os locais para abastecimento de seus veículos;
  7. Usar peças e produtos recomendados pelo fabricante dos veículos.
Guia de treinamento e capacitação - Aquecimento de motores a diesel

9 comments

    • Delton Stabelini says:

      Adriano, bom dia.

      A Honda adotou esse padrão de viscosidade para quase toda sua linha de veículos comercializados no Brasil e o fez porque deve possuir algum embasamento que sustente tal alteração.

      O benefício de utilizar lubrificantes mais finos (menor grau SAE) traz um pequena redução no consumo, mas se feita além dos parâmetros definidos pela montadora pode acarretar desgaste excessivos no motor (comando de válvulas, principalmente) e perda da pressão de óleo ideial.

  1. Leonardo Acácio antonio says:

    Se tiver que fazer uma escolha entre comprar um caminhão de bomba manual ou electrónica. Qual delas seria mas edial?

  2. Milton says:

    boa noite, tenho um pulverizador agricola equipado com um motor MWM 4.10, ocorre que ele trabalha sempre encostado na faixa vermelha, gostaria de saber se é normal. o equipamento é novo.

    • Especialista Texaco says:

      Olá, Fernando! Tudo bem?
      Seria melhor uma consulta a MWM motores para melhor aconselhamento. Tudo bem?
      Agradecemos o comentário!

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *