Avaliação de desempenho do motorista: estratégias para alta produtividade

A empresa de transporte rodoviário de cargas tem no seu quadro de colaboradores um profissional de alta relevância: o motorista, condutor do veículo que movimenta as cargas, e será através da avaliação de desempenho na realização das suas atividades, que o gestor de frota poderá mensurar a sua contribuição neste contexto do transporte.

Os gestores de frotas ou de empresas que realizam transporte de mercadoria possuem uma tarefa desafiadora: contratar um bom motorista. Um dos motivos de se tornar desafiador é a falta de qualificação dos profissionais para comandar veículos que são, cada vez mais, modernos e tecnológicos. Além disso, é claro, pelo fato de exigir muita responsabilidade do condutor diante do caminhão e também da carga transportada durante todo o trajeto.

Para obter o melhor resultado com estes condutores, precisamos criar um plano de ação para escolher os mais capacitados para o quadro de colaboradores da empresa e a metodologia para a avaliação de desempenho desses motoristas profissionais na execução dos trabalhos.

Qual é a definição para motorista profissional?

Motorista profissional é o trabalhador que exerce sua atividade profissional na condução de um veículo rodoviário. Sendo delimitado por direitos e responsabilidades inerentes à profissão.

A condução de veículo com perícia, zelo e observância aos princípios da direção defensiva. Estes são deveres de qualquer motorista profissional.

Em contrapartida, cabe ao empregador fornecer os recursos necessários para o exercício da sua atividade. Ou seja, treinamento e capacitação profissional, veículos bem manutenidos e remunerações adequadas.

Requisitos para a seleção de profissionais do volante

Faça a análise da qualificação profissional: Para contratar motoristas para frota é importante encontrar pessoas capacitadas para exercer o cargo. Primeiramente, deve-se procurar interessados que possuam a carteira de habilitação correspondente para caminhão.

Depois disso, realize testes práticos, para ver o desempenho de cada candidato. Afinal, um profissional com anos de experiência podem não saber muito bem comandar caminhões modernos.

Considere também o entendimento do candidato sobre legislação de trânsito, mecânica, condução econômica, direção defensiva e etc. Avalie o histórico trabalhista do profissional para saber a média de tempo que permaneceu em cada empresa.

Esteja junto com um profissional de RH: Ao realizar esse desafio de contratação, nada melhor estar acompanhado por uma pessoa que entenda e consiga identificar o perfil dos candidatos, que é o profissional de recursos humanos.

Muitos deles são formados em administração ou psicologia, no qual possuem a capacidade de relacionar as necessidades da empresa com as características do candidato e, assim, auxiliar nesse processo.

A experiência: Como já dito anteriormente, a experiência de anos e anos pode não ser tudo. Com a evolução da tecnologia (GPS, rastreadores, etc) e os veículos com diversos recursos modernos, a experiência de uma pessoa mais velha pode deixar a desejar.

Diante disso, os jovens podem estar mais preparados com caminhões com alto nível tecnológico. Mas, se o profissional entrevistado já estiver familiarizado com os novos caminhões, o critério experiência pode ser decisivo na hora.

Entenda as aspirações do candidato: É imprescindível saber quais são os desejos do motorista, para ter uma ideia se o candidato se encaixa bem com a vaga que está sendo oferecida.

Saiba quais são as expectativas dele em diversos fatores. Salário, disponibilidade para viagens, perspectivas de crescimento, entre outras.

Também converse sobre a vida pessoal dele, mas sem entrar profundamente na privacidade. Por exemplo, pergunte se ele tem filhos pequenos e como lidaria com isso diante de viagens longas de caminhão. Irá se adaptar bem?

O objetivo dele é realmente este trabalho? Todos esses questionamentos são válidos para evitar futuras frustrações para ambos. Além disso, também é importante para reduzir o índice de rotatividade na empresa.

Contratar um motorista qualificado é uma tarefa que exige um processo de seleção devidamente rigoroso. Porém, com uma boa análise do perfil psicológico e conhecimento técnico e prático do candidato, você garantirá uma boa escolha para a sua empresa.

Você já parou para avaliar o que geralmente as pessoas buscam ao se comprometerem profissionalmente com uma empresa?

Podem haver diversos interesses, mas algumas questões são compreendidas como básicas. São elas: um ambiente agradável de trabalho, um salário adequado, bom convívio social, capacitações, dentre outras ações.

Como ponto chave de todos esses alertas, está a motivação. E que tal darmos algumas dicas de como potencializar a motivação da equipe de motoristas da empresa?! Afinal, lidar diariamente com os entraves do trânsito pode resultar numa significativa baixa da força de trabalho.

Como recrutar os melhores profissionais ?

A importância do processo seletivo para o recrutamento de motoristas. O motorista é peça fundamental numa empresa de transportes.

O processo seletivo destes profissionais é essencial para o sucesso das empresas. Pois os candidatos devem possuir as competências necessárias para o desempenho de sua função.

Escolher os melhores dentre os recrutados é papel estratégico da área de Recursos Humanos, para os resultados da empresa.

Das diversas etapas que compõem o processo seletivo para motoristas, a realização da avaliação prático-operacional é importantíssima.

A falta de critérios objetivos previamente definidos e de instrumentos adequados para medir o desempenho dos candidatos pode fazer com que a empresa perca na eficiência e eficácia de seu processo seletivo.

Cada motorista tem uma característica própria na condução de um veículo.

Por isso, torna-se necessária uma avaliação de desempenho na prática, dentro de um padrão lógico e criterioso, para se estabelecer o perfil técnico-operacional de cada candidato.

O objetivo desta etapa do processo seletivo é avaliar, através de pré-teste, o desempenho do candidato. Precisa estar de acordo com os critérios técnico-operacionais, com vistas à operação segura e econômica e sem provocar desgastes prematuros no veículo.

Etapas do processo seletivo – Alguns cuidados

Triagem: Os candidatos devem comprovar a experiência e a escolaridade exigidas, bem como apresentar a documentação pessoal solicitada e demonstrar uma postura adequada e boa aparência.

Planejamento do pré teste ou teste prático: O examinador deve providenciar um local adequado para a recepção dos candidatos e providenciar também os recursos que serão necessários para a execução desta atividade.

Orientações preliminares: O examinador deverá realizar a apresentação. Posteriormente, definir o que é pré-teste. “É um teste de caráter seletivo, que se aplica a todos os candidatos ao cargo de motorista. Pois as características de cada um são diversificadas pela própria vivência e experiência na função”.

Aplicação do teste prático: Consiste na operação do veículo em um período urbano e/ou rodoviário pré-determinado, em condições normais de trânsito.

É realizado com um número limitado de candidatos. Cada um tem a oportunidade de demonstrar seu desempenho em um tempo hábil de se avaliar seu perfil técnico. Exceto aqueles que demonstrarem em pouco tempo um comportamento de grande risco.


O pré-teste é aplicado por um ou dois examinadores, devidamente treinados e preparados, onde um ou ambos têm a função de observador/avaliador.

Sendo dois examinadores, um deles, além de observador e avaliador, atuará também como interventor frente às operações de risco, ocasionadas pelo candidato, e orientará o itinerário.

Fatores de Avaliação do pré teste: Os fatores a serem observados durante a realização do pré-teste estão diretamente ligados à condução do veículo, respeito à legislação de trânsito e postura do profissional..

Fatores psicológicos que influem no pré teste: A situação de seleção por si mesma é desencadeadora de uma série de sentimentos, que interferem no desempenho do candidato. Alguns deles, inclusive, interferem negativamente no seu desempenho, como por exemplo: nervosismo, tensão, medo, ansiedade, apatia.

Postura do examinador: A postura ética do examinador é fundamental neste momento. Evitar “pegadinhas”, situações propositalmente difíceis ou constrangedoras não contribui para o objetivo da seleção, que é escolher o melhor candidato. Neste momento, o examinador deve colocar-se no lugar do candidato, a fim de facilitar que o seu melhor desempenho ocorra na situação do pré-teste.

desempenho

Como realizar a avaliação de desempenho de um motorista após a sua contratação?

Após a contratação do profissional, cabe ao gestor de frota criar o melhor ambiente para o recebimento deste colaborador. Apresentar a empresa, os equipamentos, a equipe de colaboradores do setor. Além de como obter os recursos necessários para o exercício de suas atividades. São estas algumas das atribuições do gestor de frota na chegada do funcionário.

O gestor de frota no período de experiência do motorista contratado, precisa avaliar algumas habilidades, como por exemplo:

  1. Capacidade de fazer uma manutenção básica: Embora existam pessoas na empresa que trabalham para manter a frota em forma, muitas situações surgem na estrada e os motoristas devem saber como lidar com elas. Coisas simples como trocar um pneu furado, fusível, lâmpada e fluidos são habilidades necessárias ao trabalho. O potencial motorista também precisa ser capaz de pelo menos realizar diagnósticos básicos. Como o que está errado com o veículo, a fim de encaminhar a solução do problema.
  2. Habilidade com as pessoas: Embora fiquem isolados na cabine do caminhão durante a maior parte do tempo, eles ainda têm de lidar com pessoas durante sua viagem – do contratante ao cliente final.
  3. Inspirar confiança e auto motivação: O motorista deve ser confiável e sentir-se motivado. Capacidade de organização também se enquadra nesta categoria. Um bom caminhoneiro deve ser capaz de lidar com sua papelada e registro eletrônico, além de organizar os seus horários de forma eficiente. Ele também deve manter suas habilidades atualizadas, a fim de dar o melhor de si.
  4. Prontidão: Isto é importante para qualquer tipo de condutor, mas quando se olha para um motorista de caminhão, isso é absolutamente vital. Estar atento ao que diz respeito ao trabalho é fundamental para  segurança e chegada no destino a tempo. Há muitos fatores a considerar. Condições do caminhão, o que está acontecendo na estrada e o que outros motoristas no entorno estão fazendo. Ele deve estar alerta às condições padrão, caso algo fora do comum aconteça. Quer se trate de um cheiro estranho ou apenas um jeito diferente do caminhão se comportar na estrada, ele deve ser capaz de reconhecer que há um problema e lidar com ele.
  5. Qualificações adequadas. Requisito básico do trabalho inclui ter carteira de motorista na categoria que o habilite a dirigir determinado veículo. Isto assegura que potenciais motoristas conheçam as regras e os regulamentos necessários para dirigir de forma adequada veículos de carga pesada.

No entanto, isto é apenas o mínimo! Um excelente condutor vai além. Ele se mantém atualizado com a empresa que o contrata, com os regulamentos do governo. Além de fazer o possível para ter sempre uma carteira de motorista impecável. Há diversos cursos disponíveis para motoristas de caminhão, que podem proporcionar-lhe uma formação técnica valiosa para o mercado.

O que é avaliação de desempenho?

Avaliação de desempenho é uma ferramenta de gestão de pessoas que visa analisar o desempenho individual ou de um grupo de funcionários em uma determinada empresa.

Trata da apreciação sistemática de cada profissional em função das atividades que desempenha. Das metas e resultados e/ou do comportamento durante um certo intervalo de tempo e do potencial de desenvolvimento.

É através deste processo que os líderes analisam o comportamento de seus funcionários, O objetivo é identificar pontos fortes e pontos a desenvolver. E, após isso, traçar planos de desenvolvimento focados nos gaps identificados.

Vale ressaltar que após a avaliação, o avaliado precisa saber as conclusões do avaliador. Todos os profissionais precisam receber feedback a respeito de seu desempenho para saber como está indo seu trabalho. Sem essa comunicação, eles caminham às cegas.

Também a organização precisa saber como as pessoas desempenham as suas atividades para ter ideia de sua potencialidade.

Formas de avaliação do desempenho

A prática da avaliação, em seu sentido genérico, é inerente à natureza humana. Assim como é também a base para tomada de decisão que está presente em toda escolha. Há pelo menos, duas formas básicas para se avaliar desempenhos: por objetivos ou por competências.

Avaliação de desempenho por objetivos

Quando utilizamos o modelo de avaliação de desempenho por objetivos, queremos avaliar o quanto cada colaborador se aproximou, atingiu ou superou as metas contratadas.

É importante ressaltar que o conceito destaca a excelência. Isto torna necessário estabelecer um processo sistematizado, com metodologias específicas, passível de mensuração e comparação de performances entre os vários funcionários de uma organização.

A partir dessa avaliação, você consegue mensurar não apenas o desempenho da equipe, mas a forma como cada um dos seus colaboradores age para atingir os seus objetivos.

Esse tipo de avaliação é mais adequado para empresas com uma gestão mais voltada para resultados. Isso porque toda a sua análise será feita baseada nos objetivos atingidos.

Durante um determinado período de tempo de observação, é possível ao gestor, avaliar a postura profissional, o conhecimento técnico, as habilidades, os comportamentos e o cumprimento de metas de cada colaborador.

Dentre os possíveis pontos a serem analisados na avaliação de desempenho por objetivos, destacamos:

  • Consumo de combustível
  • Manutenção de Veículos
  • Consumo de Pneus
  • Cargas Avariadas
  • Multas
  • Acidentes

Avaliação de desempenho por competências

Já no modelo de avaliação por competências, o objetivo é saber se o colaborador tem apresentado comportamentos que expressem as competências requeridas pela empresa.

Segundo definição de Le Boyer, “competências são repertórios de comportamentos que algumas pessoas e/ou organizações dominam, o que as faz destacar de outras em contextos específicos”.

Competência é, portanto, um conjunto de características passíveis de observação direta e mensuração. Estas envolvem conhecimentos, habilidades e atitudes, que levam a predizer o êxito.

Para realizá-la você deve definir as principais competências esperadas dos membros de determinada área ou setor da sua empresa.

Dessa forma, você consegue ter um panorama mais completo das habilidades técnicas e comportamentais que a sua equipe precisa desenvolver.

Porém, para a utilização desse método de avaliação, é essencial que você tenha descritas as aptidões essenciais para cada um dos cargos e funções da sua empresa.

Qual a importância do engajamento do gestor de frota no processo?

Para obter êxito no processo de avaliação de desempenho do motorista, é fundamental a participação do gestor de frota.

O gestor de frota precisa, antes de tudo, comprar a ideia de melhoria contínua em suas atividades. Além de entender que são as pessoas que contribuirão para o crescimento da empresa.

Conclusão

O segmento do transporte atualmente busca produtividade máxima com custos mínimos. Esta tarefa árdua foi atribuída ao gestor de frota que precisa ser hábil e ter na equipe profissionais com o mesmo foco.

Dedicar um tempo maior ao planejamento e ter em seu quadro de colaboradores capacitados. É fundamental que os motoristas dos veículos da frota atendam às expectativas e necessidades da transportadora.

Uma empresa que trabalha com a avaliação de desempenho possui os argumentos essenciais para constatar a produtividade do seu motorista e como ele está contribuindo para o alcance dos melhores resultados.

Portanto, cabe ao gestor de frota acompanhar todo o processo. Desde a captação do profissional no mercado, avaliação do desempenho nos testes teóricos e práticos para a admissão e principalmente depois de contratado, pois quando o motorista é comprometido, o transportador é beneficiado.

Veja em nosso blog alguns artigos que ajudarão o gestor de frota em suas atividades:

Especialista Técnico formado pela Universidade Metodista de Piracicaba em Engenharia Industrial Mecânica, Pós Graduado em Marketing. Com mais de 22 anos de experiência no setor de Petróleo, sendo 9 anos na área de vendas de lubrificantes industriais e automotivos, e os demais na área de suporte técnico e desenvolvimento de lubrificantes para mercado brasileiro.

2 comments

  1. Azuil Conceição de Aragão Junior says:

    Bom o que tenho pra comentar é bem assim,dirigir é muito fácil difícil é ser motorista..trabalho muito no trajeto entre Brasil e Argentina que pra mim é um setor de muita responsabilidade por transitar em outro país da América do sul, aonde precisa ter conhecimento da legislação de trânsito internacional me sinto muito capacitado e tenho muito orgulho disso….

    • Delton Stabelini Delton Stabelini says:

      Olá, Azuil. Tudo certo? Obrigado pela contribuição. Continue acompanhando a gente e vamos aprofundar esta discussão. Abraço!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *