Arrefecimento do motor: conceito, características e manutenção adequada

Quer saber como aumentar a longevidade do seu veículo? Este post é pra você!

Entender o que é e quais são as funções do sistema de arrefecimento do motor do seu veículo é fundamental para a longevidade dele. Aliás, as autoescolas com didáticas mais simples costumam abordar esse assunto em sala de aula com os futuros condutores.

A questão é que muitos esquecem do conteúdo dessa matéria pouco depois de passarem na prova teórica, uma vez que, geralmente, os alunos estão mais interessados em dominar o conteúdo da prova prática do que ter a teoria mecânica viva em suas mentes.

Mas o propósito deste artigo é conhecer os componentes, as funções e apontar os cuidados necessários para a manutenção do sistema de arrefecimento do motor.

Pouco importa se estamos falando de um veículo leve ou um veículo pesado. O conteúdo abaixo certamente vai ser de grande importância para os amantes dos automóveis.

Afinal, o que é o sistema de arrefecimento do motor?

O sistema de arrefecimento do motor tem um papel muito importante dentro da estrutura mecânica do seu carro. Ele é o responsável por manter a temperatura a um nível adequado para o bom funcionamento do veículo.

O trabalho com temperaturas mais elevadas significa um superaquecimento no motor, por isso é importante controlar a temperatura operacional, garantindo assim longa vida ao seu veículo.

As peças que compõem esse sistema são: bomba d’água, válvula termostática, reservatório, radiador, sensor de temperatura, ventoinha (também conhecida como eletroventilador) e, por último, mas não menos importante, um fluido composto por água desmineralizada, monoetileno glicol e inibidores de corrosão de origem inorgânica, orgânica (OAT) ou híbridos.

A Texaco tem uma linha completa desses produtos que é singular no mercado!

Essa combinação é que vai garantir a refrigeração adequada e evitar a formação de ferrugem e corrosão prejudiciais aos motores.

A quantidade exata dessa mistura, ou seja, a proporção ideal, costuma ser informada pelo fabricante do veículo. Caso essa informação não venha no manual do proprietário, a recomendação é que você faça a mistura em partes iguais 1:1, no caso de usar o produto Fluido de Radiador na versão concentrada.

Existe também a versão de Fluido de Radiador na versão pronta para uso ou Premix 50/50, ou seja, não é necessário diluir em água, pois ele está pronto para uso.

Mas antes de continuarmos, é preciso destacar a importância da água desmineralizada e esquecer a água da torneira, água destilada, água de ar condicionado, água de chuva ou mesmo água mineral.

“Por que usar água desmineralizada?”, você deve estar se perguntando.

A água é o melhor e mais eficaz meio de troca térmica conhecido, mas a água mineral é extremamente corrosiva e, quando usamos uma água desmineralizada, reduzimos o potencial corrosivo da água, sendo assim, os Fluidos de Radiadores podem trabalhar por mais tempo na proteção do seu motor.

Nota: nunca use água de torneira na manutenção preventiva do sistema de arrefecimento do motor do seu veículo, use sempre água desmineralizada.

Como o sistema de arrefecimento do motor funciona?

A circulação do Fluido de Radiador pelo sistema de arrefecimento do motor é promovida pela bomba d’água, que o força a percorrer as galerias internas do motor, removendo o calor gerado internamente pela combustão e dissipando-o para o meio ambiente.

A válvula termostática tem a função de controlar o fluxo do fluido dentro do sistema de arrefecimento

Enquanto parte do fluido está ganhando calor, outra parte está esfriando e aguardando no radiador a abertura da válvula termostática, para que possa entrar no motor e empurrar a água quente para resfriar no radiador

Esse ciclo se repete toda vez que o Fluido de Radiador aquece e atinge uma determinada temperatura e a válvula é acionada.

Quais problemas eu posso enfrentar com o sistema de arrefecimento do motor?

Qualquer situação adversa que possa ocorrer com algum dos componentes do sistema de arrefecimento, vai resultar em algo maior para o veículo: o superaquecimento.

Antes de sabermos quais os problemas que o sistema de arrefecimento pode apresentar, é importante sabermos como identificar que algo não está indo bem.

  •     Luz de advertência vermelha no painel;
  •     Fumaça saindo do capô;
  •     Medidor de temperatura chegando ao máximo.

Continuar o trajeto com um motor sobreaquecido, pode deformar os cilindros e danificar o radiador ou as partes internas do motor, tais como válvulas de admissão, expansão e os pistões.

Alguns fatores podem implicar no indesejado superaquecimento:

  • O vazamento do Fluido de Radiador pode ser uma das causas do superaquecimento. Isso pode estar ligado intimamente a um problema de vazamento na mangueira da bomba d’água.
  • Um Fluido de Radiador, com o passar do tempo, perde as suas propriedades inibidoras da corrosão. Isso contribui para a formação da ferrugem e corrosão que, por sua vez, pode causar danos ao motor, portanto, observe o período de troca do fluido.
  • A válvula termostática ou termostato, peça fundamental para a circulação do Fluido de Radiador pode emperrar, travando na posição “fechado” devido a depósitos de sais insolúveis e abrasivos, impedindo o livre tráfego do fluido.
  • As canaletas do radiador também podem estar entupidas por depósitos; é sempre prudente fazer essa verificação de tempos em tempos e promover a limpeza.
  • O problema pode acontecer na ventoinha que, por inúmeros motivos, pode ter parado de funcionar e contribuído para o superaquecimento do motor.
  • Se a tampa do radiador estiver danificada, não haverá pressão suficiente no sistema de arrefecimento do motor, o fluido vai ferver e evaporar, prejudicando assim o nível de segurança do fluido.
  • A junta do cabeçote é responsável pela vedação dos cilindros, com as passagens de fluidos de arrefecimento existentes no bloco do motor. Caso ela venha a se romper, pode provocar a passagem do Fluido de Radiador para os cilindros, onde ocorre a combustão, o que poderá causar danos catastróficos.
  • A bomba d’água pode parar de funcionar, o que impedirá o fluxo do fluido entre o motor e o sistema de arrefecimento. O rompimento da correia que impulsiona a bomba d’água também pode provocar o mesmo problema.
  • E, finalmente, você pode estar abusando da força do seu veículo e colocando muito mais peso nele do que o indicado pelo fabricante.

A forma de prevenção mais eficaz para verificar qualquer problema a tempo, e não se deixar flagrar por uma péssima surpresa é consultar periodicamente o nível do fluido de arrefecimento e periodicamente trocá-lo.

O que mais fazer para evitar todos os problemas listados acima?

Seguir algumas boas práticas de manutenção será suficiente para que o superaquecimento não se coloque no seu caminho, tais como:

  • Siga as orientações do manual do proprietário do veículo para garantir a completa eficiência do seu Fluido de Radiador.
  • Procure manter proporção adequada do Fluido de Radiador a fim de preservar a válvula termostática e evitando depósitos e corrosão.
  • Verifique o bom funcionamento da ventoinha, componente importante para o resfriamento do fluido no radiador em condições de trânsito lento, de baixa velocidade e anda e para.
  • Fique de olho nas mangueiras do sistema de arrefecimento! O problema mais comum é o seu ressecamento. Esse fato pode ser responsável por vazamentos e pelo superaquecimento do motor.
  • Procure respeitar o prazo para a troca da tampa do radiador. Suas válvulas são calibradas para suportarem a pressão da água quente do reservatório plástico. Caso haja algum problema nesse sentido, a água será liberada em forma de vapor comprometendo a manutenção do volume necessário para o resfriamento eficaz do motor.
  • Identifique vazamentos embaixo do veículo ou mesmo barulhos incomuns. Esses episódios podem indicar problemas na bomba d’água.

A importância da escolha do fluido certo para o sistema de arrefecimento

No mercado brasileiro ainda não temos a cultura de fazer o uso rotineiro do Fluido de Radiador. Quando se pensa em manutenção veicular, a necessidade da troca de óleo é quem tem status de protagonista, enquanto o uso do Fluido de Radiador adequado é conhecido por uma parcela muito pequena do público consumidor.

O fato se deve à falta de informação. Se alguns fatos fossem difundidos, ou mesmo procurados com mais frequência, os motoristas teriam um enorme conhecimento sobre as vantagens do uso do Fluido de Radiador correto para o sistema de arrefecimento do motor dos seus veículos.

Entre eles nós podemos listar:

  •     Evita a corrosão;
  •     Controla a faixa de temperatura operacional do motor;
  •   Não congela em baixas temperaturas (abaixo de zero graus);
  •     Aumenta o ponto de ebulição da água (impedindo a evaporação da água);
  •     Protege e aumenta a vida útil das peças do sistema de arrefecimento (exemplo bomba d’água, válvula termostática etc).

Cuidados com a colmeia do radiador

A colmeia, que é a parte central do radiador, dificilmente quebrará e exigirá a sua troca. Esses eventos costumam ocorrer com mais frequência em peças como mangueira e bomba d’água.

Isso, porém, não impede que dediquemos um pouco da nossa atenção a essa parte do componente.

Recomenda-se a limpeza regular da colmeia. Você costuma pegar estrada de terra com frequência? Confirme se há barro na colmeia do radiador. Se a resposta for positiva, limpe a parte do cofre do motor, de dentro para fora, com o uso da mangueira e boa viagem.

Essa prática vai permitir a livre circulação do ar entre os circuitos, promovendo assim a troca de calor.

Repassando o que vimos neste post

 O que é o sistema de arrefecimento do motor e como esse processo se comporta;

 Quais são as peças fundamentais do veículo para que o arrefecimento ocorra de forma eficiente;

 Quais possíveis problemas podem ser enfrentados no arrefecimento do motor e como evitá-los;

 A importância da escolha do fluido ideal para o sistema de arrefecimento do seu veículo;

 Como cuidar de maneira efetiva da colmeia do radiador do seu veículo.

E aí, o nosso conteúdo foi útil? Sentiu falta de algum detalhe que está no dia a dia, mas ausente no conteúdo do nosso artigo?

Deixe o seu comentário aqui embaixo!

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *