[Parte 2] Foco em Resultados: diretrizes para o gestor que busca rentabilidade

Dando continuidade ao tema sobre o modelo de gestão com foco em resultados, agora iremos abordar o tema cujo foco será o gestor de frota. Você pode conferir a primeira parte da matéria clicando em: [Parte 1] Foco em Resultados: diretrizes para o gestor que busca rentabilidade.

Como implantar esta metodologia na gestão de frota?

O gestor de frota deve atuar como facilitador neste processo, utilizando ao máximo os recursos que serão disponibilizados a custos mínimos, sempre adotando ações preventivas, antecipando etapas para a liberação da frota de veículos para o transporte de cargas.

Destacamos as seguintes diretrizes:

Uso correto da frota no segmento de atuação

O gerenciamento eficaz de transportes e frotas exige conhecimentos, qualificação e atualização contínua para trabalhar com custos cada vez menores, sem comprometer a qualidade do resultado final da operação, e consequentemente, a segurança e a satisfação dos operadores, do usuário e do cliente.

Qualidade e produtividade formam a base para o aumento da eficiência, também na administração de transportes e veículos. Para as empresas, isso levará à rentabilidade e competitividade, contribuindo para o seu crescimento sustentável.

Empresas que fazem da logística seu core business e desejam operar em alta performance precisam contar com bons veículos!

Dessa forma, ela será capaz de suprir altas demandas e atender muito bem os seus clientes, com o uso de veículos adequados e dimensionados para o atendimento aos clientes.

Dimensionamento de frota

Para uma operação de transportes existir e funcionar da melhor forma possível, a frota disponível é um dos fatores mais importantes. O cuidado não apenas com a manutenção e estado dos veículos, mas também com o número de veículos necessários para operar cumprindo prazos e realizando todas as entregas são preocupações constantes dos gestores logísticos.

Mas, se o objetivo de toda operação de transporte é fazer entregas em segurança e dentro do prazo, por que as empresas simplesmente não trabalham com uma frota maior para garantir que isso ocorra?

Esse pode até parecer o cenário ideal, mas veículos ociosos ou parados representam custos desnecessários para as organizações.

Para trabalhar da melhor forma, elas devem estabelecer o tamanho de suas frotas de acordo com o volume de encomendas, os percursos que serão realizados, peso das cargas, condições das estradas que serão utilizadas, entre outros fatores.

Ao considerar tudo isso e dimensionar sua frota, as empresas minimizam seus custos e trabalham com mais segurança.

Frota própria ou terceirizada

Uma das dúvidas mais comuns dos gestores de frota diz respeito à especificidade da operação, isto é, o que será mais rentável: manter uma frota própria ou terceirizada?

Essa é uma dúvida bastante razoável, principalmente por englobar um amplo conjunto de decisões, desde as mais operacionais às mais estratégicas. Além destas decisões, há de se analisar as vantagens e desvantagens que cada opção oferece.

A análise da sua estrutura organizacional somada às necessidades dos seus clientes são os pontos fundamentais para a escolha do tipo da frota de veículos e vale a pena ressaltar:

  • Produto a ser transportado;
  • Expertise da empresa quanto ao tipo de transporte;
  • Disponibilidade de veículos para atendimento;
  • Recursos necessários.

Manutenção da Frota

A manutenção tem como conceito e ação em manter, consertar e conservar algo, ajudando no bom e correto funcionamento de máquinas, equipamentos, entre outros, no qual focamos no transporte de cargas.

Garantindo a continuidade de sua função dentro de parâmetros de disponibilidade, qualidade, prazo, custos e vida útil adequada.

Essas manutenções são necessárias para que o veículo permaneça de acordo com uma condição específica e estabelecida para uso.

Cabe ao gestor de frota acompanhar com muita atenção esta etapa, maximizando os recursos e adotando tipos de manutenção que proporcionem a averiguação do estado dos veículos da frota, os quais recomendamos:

  • Manutenção de operação: Checklist realizado pelo condutor apontando eventuais problemas (funciona como uma triagem);
  • Manutenção preventiva: Checagem de itens predeterminados em função de intervalos de deslocamento dos veículos (km ou horas);
  • Inspeção veicular: Verificações intermediárias que ocorrem entre as manutenções preventivas visando encontrar anomalias mecânicas;
  • Manutenção corretiva: Reparos realizados em função do desempenho abaixo do esperado.

Vale lembrar, também, sobre a importância em planejar a pausa no uso dos veículos para que ocorra a manutenção da frota.

É essencial realizar um bom planejamento nesta etapa para que elas sejam programadas das formas mais esparsas possíveis e, de preferência, curtas.

Um fator crucial no planejamento da manutenção da frota é a escolha de um bom lubrificante, uma vez que isso influencia na extensão do tempo de troca de óleo do veículo.

Confira, a seguir, como isso pode gerar economia na prática!

 

Renovação de Frota

Ter uma frota de caminhões antiga pode parecer mais econômico, já que trocar tudo significaria um grande abalo na economia da empresa, certo? Nem tanto.

Renovar a frota de caminhões no momento certo pode significar diminuição dos gastos de manutenção com os veículos futuramente, assim como a redução do risco de acidentes nas estradas.

Mas como renovar a frota de modo que a mudança seja positiva financeira e estruturalmente com caminhões que atendam perfeitamente à demanda da empresa?

#1 – Escolha o melhor veículo de acordo com as suas necessidades

Para ter a economia e o funcionamento esperado dos veículos em sua frota, o primeiro passo é estudá-los e decidir qual o tipo que será mais útil para sua empresa.

O modelo do caminhão pode variar devido à sua finalidade — se o uso será urbano ou rodoviário — ou às suas características — se terá baú, refrigeração, caçamba ou guincho.

Analise todas as rotas que os seus veículos irão fazer. Por exemplo, rodar em estradas com qualidade ruim exige a compra de um caminhão mais resistente. Já rodovias com muitos desníveis e serras pedem um modelo mais potente.

Veja, no artigo a seguir, quais os tipos de caminhões e capacidades e encontre o ideal para a sua frota!

#2 – Tenha o histórico de manutenção da sua frota atualizado

No início de sua pesquisa para a troca da frota, organize os manuais e documentos referentes à sua frota atual e deixe tudo certo para uma futura negociação.

Os comprovantes de manutenção e revisão de cada um dos veículos podem garantir uma melhor venda, já que trazem mais confiança para o comprador.

#3 – Analisar a taxa de ocupação de seus veículos

Estudar o quanto e como seus veículos são usados é um passo importante na hora da renovação da frota.

Nesse caso, analise se a companhia teve um aumento no uso dos caminhões, se algum setor está defasado no que diz respeito à locomoção ou se atualmente existem mais veículos parados ou ineficazes para a necessidade da empresa.

#4 – Busque veículos com mais tecnologia

Investir em tecnologia pode ser o grande segredo para poupar no futuro!

Os caminhões atuais são equipados com sistemas que melhoram a vida do motorista a bordo, mas que também ajudam na manutenção do caminhão, alertando sobre possíveis sinais de qualquer falha.

Além disso, os veículos munidos de tecnologia também podem gastar menos combustível.

Conclusão

A gestão com foco em resultados é a alternativa mais rápida para o alcance das metas definidas pela alta direção em virtude do envolvimento de todos os colaboradores, pois o sucesso virá com o comprometimento, a motivação e o reconhecimento.

Quando há o planejamento, o fator tempo é preponderante, o que proporciona maior dedicação. Saber o que precisa ser feito e ter consciência de que fazemos parte de um time vencedor aumenta a nossa autoestima.

Conheça mais artigos relacionados à gestão de frotas que podem te ajudar:

Caso tenha dúvidas, registre-as nos comentários

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *