Óleo sintético ou semissintético: qual a diferença?

Tão importante quanto ficar de olho no período certo para trocar o lubrificante do carro do cliente é saber qual o óleo correto para o mesmo. Utilizar o lubrificante com as especificações adequadas, aumenta a durabilidade do motor e diminui o consumo do combustível.

O lubrificante é composto por óleos básicos e aditivos. Dentre suas principais funções, ele deve evitar o contato entre as superfícies metálicas, refrigerar e manter o motor limpo, independentemente de ser mineral, sintético ou semissintético.

Nesse artigo, vamos mostrar as diferenças entre os sintéticos e semissintéticos para que você consiga explicar rapidamente aos seus clientes por que usar um e não o outro. Confira!

Óleo sintético

O óleo lubrificante sintético é produzido por meio da manipulação do petróleo e de componentes químicos em laboratório. É um processo que passa por vários testes e modificações até que se atinja o resultado final esperado.

Por exemplo: se a ideia é criar um óleo que seja mais resistente que os anteriores, o laboratório faz diversos estudos e tentativas, colocando novos aditivos até que o objetivo seja alcançado.

E é justamente essa possibilidade de manipulação e desenvolvimento constante que torna o lubrificante sintético a opção mais completa do mercado. Em relação à durabilidade, os lubrificantes sintéticos possuem composição química mais uniforme e estável de maior pureza, o que resulta, dentre outra propriedades, na maior resistência à oxidação (envelhecimento).

Os principais benefícios são:

  • Lubrifica mais;
  • Dura mais;
  • Impede formação de borra;
  • Resistência à oxidação.

Óleo semissintético

lubrificante semissintético são elaborados pela mistura de óleos básicos minerais e sintéticos em proporção mínima definida, buscando reunir as melhores propriedades de cada tipo. Esse tipo de produção garante que o óleo tenha performance superior a dos lubrificantes de minerais.

  • Preço intermediário;
  • Boa durabilidade.

Qual a melhor opção?

Quem tem essa resposta é o Manual do Proprietário de cada veículo. Por mais que o óleo sintético seja mais desenvolvido em termos de rendimento, existem propriedades específicas de cada tipo de óleo – como os aditivos, por exemplo – que respondem melhor de acordo com cada motor. Então, existem carros que funcionam melhor com óleos semissintéticos de determinado viscosidade do que com óleos sintéticos.

Portanto, tente sempre seguir à risca o manual do carro para garantir um bom funcionamento pelo maior tempo possível. Assim, o seu cliente ficará muito satisfeito.

Ainda ficou com alguma dúvida sobre o assunto? Não esqueça de deixar o seu comentário. E siga acompanhando o nosso blog para se tornar um especialista de verdade no assunto!

Guia de Marketing para automotivos

 

Especialista Técnico formado pela Universidade Metodista de Piracicaba em Engenharia Industrial Mecânica, Pós Graduado em Marketing. Com mais de 22 anos de experiência no setor de Petróleo, sendo 9 anos na área de vendas de lubrificantes industriais e automotivos, e os demais na área de suporte técnico e desenvolvimento de lubrificantes para mercado brasileiro.

48 comments

    • André oleo says:

      Óleo sintético geralmente usamos para 10mil km e o semi em média 7 mil km ja os minerais de baixa classe 3mil os classes sj acima 5mil km

  1. Rogerio Leite says:

    Parabéns, pela explicação de muita importância sou Motofrete (Motoboy) e acompanhando essa explicação aprendi a diferença entre óleo Semissintetico e óleo sintético !! Obrigado

  2. Francisco Luiz da Silva Filho says:

    SEMPRE coloquei o semisinteco, e agora quero colocar o sintético, tenho um clássico 1.0 2013/14 posso colocar? Gostei das suas esplicacoes.

  3. Odailton Schimeski says:

    Valeu pessoal, muito bom a explicação de vocês, eu tinha dúvidas em relação a diferença do sintético e o semissintetico, muito bom, abraços.

  4. Marcelo roy says:

    Boa noite á todos .trabalho em troca de óleo é sempre falo para meus clientes ,que óleo sintético é para dez mil km na estrada pois aqui dentro tem que trocar antes por causa das condições mais críticas .estou certo disso ?.
    No mesmo caso dos óleos semi sintético ou mineral ok.

    • Delton Stabelini Delton Stabelini says:

      Olá, Marcelo. Quem define o período de troca é o fabricante do veículo em função do regime de operação (normal, misto ou severo). Geralmente a utilização de lubrificantes sintéticos permitem o alcance de maiores períodos de troca e esse raciocínio vale para os semissintético quando comparados com os minerais, mas é importante ressaltar que esse período é sempre definido pelo fabricante do veículo e não do óleo.

  5. Cloves Zanellatti Rosa says:

    Boa tarde Sr. Delton Stabelini !
    Por favor: O tipo de óleo à ser usado no motor de um carro ou moto é definido pelo ajuste de cada peça móvel, mancal, sendo mais ou menos ajustado com menas folga entre as peças em movimento é que determina esse tipo de óleo a ser usado?
    É sempre bom usar um aditivo?
    Obrigado e parabéns.
    Sou tecnólogo mecânico.

      • Marcio says:

        Boa noite Sr Dalton.
        No manual do meu carro pede óleo sintetico e permite o uso do semi sintético tb.
        Mas notei que ao colocar óleo semi sintetico o motor esquenta mais rápido e o ventoinha do radiador liga em intervalos menores do que quando usava óleo sintetico.
        Isso realmente tem aver ?
        Eu posso voltar a por o sintético na próxima troca ?

        Obrigado

        • Delton Stabelini Delton Stabelini says:

          Bom dia, Márcio. Tudo bem?
          Ligar a ventoinha mais rápido, nada tem a ver com a Base do óleo lubrificante que você está utilizando (sintético e ou semissintético). O que você deve verificar é a eficiência do Fluído de Radiador e do sistema de arrefecimento.
          Sim, você pode voltar a usar um produto de base sintética.
          Abraço.

  6. JOÃO HENRIQUE says:

    NÃO TENHO O MANUAL DO MEU CARRO ( HONDA FIT 2003/2004 ) EM MÃOS NO MOMENTO MAS SE NÃO ME ENGANO LÁ DIZ QUE DEVO USAR UM ÓLEO 10W30 MINERAL NO ENTANTO QUANDO EU LIGUEI NA CONCESSIONÁRIA ELES ME DISSERAM QUE USARIAM O ÓLEO 0W10 SINTETICO EM MEU CARRO.
    A FINAL QUE ÓLEO POSSO APLICAR EM MEU CARRO SENDO QUE ELE É DE 2004 E ESTÁ COM 112 MIL QUILÔMETROS RODADOS .
    POR FAVOR AGUARDO RESPOSTA
    A SIM E EU GOSTEI DA EXPLICAÇÃO A CIMA
    OBRIGADO

  7. Gustavo Nery says:

    Olá Felton. Muito boa a sua explicação. Gostaria apenas de tirar uma dúvida: no manual do meu carro (Corolla) diz que posso usar os óleos para o motor 5w30 api sn ou 10w40 API sm. Porém, conversando com alguns amigos engenheiros, eles disseram que poderia usar o 5w30 sintético também sem interferir no motor pela qualidade melhor. Isso influenciaria no motor? Poderia gerar problemas para meu veículo?

    • Delton Stabelini Delton Stabelini says:

      Gustavo, sim você sempre pode optar por utilizar lubrificantes sintéticos de superior classificação e desempenho API, isso melhora a proteção dada ao motor. Nenhum problema será acarretado devido a essa mudança. Faça o download do nosso aplicativo Havoline Troca de Óleo, é grátis e lá você encontra o produto adequado a seu motor: https://www.texaco.com.br/aplicativo-havoline/

    • Delton Stabelini Delton Stabelini says:

      Olá, Caio! Já que você está com problemas de vazamento de óleo é importante procurar um mecânico de confiança para corrigir esse problema. Abraços!

  8. Lucinei Colussi says:

    Olá. O manual do meu carro recomenda 15w40, ou 10w40 em condições severas, porém, resido na serra gaúcha, onde no inverno, temperaturas inferiores a 10 graus são rotineiras. Neste caso, utilizar um óleo com especificação W menor, como um 5w40, mesmo fora da especificação do fabricante, traria alguma vantagem? Ou desvantagens? Obrigado

    • Delton Stabelini Delton Stabelini says:

      Boa tarde, Lucinei! Sim, você pode utilizar um óleo de menor viscosidade ou seja um SAE 5W-40 com vantagens referente a economia de combustível e maior proteção do motor na partida a frio e nenhuma desvantagens.

  9. JOSE JAIME ELIAS DE OLIVEIRA says:

    Olá, fui troca o óleo do carro Nissan versa e pede no manual à especificação 10w40 api sm ou acea a3/b4 ,mais o foi colocado outro com especificação 10w 40 sn semisintetico. E agora pode prejudicar o motor do carro.

    • Delton Stabelini Delton Stabelini says:

      José Jaime, bom dia!

      Usar um óleo de classificação superior a recomendada pelo fabricante não é problema. Fique tranquilo não vai prejudicar o motor, API SN é superior a API SM. Abraço!

  10. Rodrigo says:

    Realizei a troca de óleo do meu carro ( corolla 2.0 11/12) esta usando 5w30 semisintetico e o gerente da loja falou que era para colocar o 5w30 api sn Sintetico porque era melhor.
    depois que cheguei em casa vi que no manual recomenda o semissintético . Corro algum risco? nao sei se procede mas quando se coloca o sitetico nao posso mais voltar para o semi verdade?

    • Delton Stabelini Delton Stabelini says:

      Rodrigo, bom dia! Tudo bem? Pode ficar tranquilo que você não corre nenhum risco, utilizar um produto sintético no lugar de um semissintético só trará benefícios a lubrificação do motor. Não é verdade se quiser voltar a usar o semissintético pode voltar, mas não justifica pois, lubrificantes de base sintética tem um melhor desempenho quando comparado com os semissintéticos. Abração!

  11. Junior Masquieto says:

    Olá boa noite Delton, acabei de comprar uma Amarok 2010/2011 s/filtro de partículas.
    Lubrificante recomendado é o 5w40, mas esta baixando muito óleo a cada 700 km consome cerca de 1 litro, então fui orientado a utilizar um lubrificante com mais viscosidade por exemplo 10w40 semi-sintetico e isso resolveu o problema de baixa o óleo do motor.
    Ai eu ti pegunto, posso ter problemas futuro ?
    Quilometragem atual 125 mil km.
    Desde já muito obrigado.
    Att. Junior.

    • Delton Stabelini Delton Stabelini says:

      Junior, boa noite! Sua pergunta é muito interessante e precisa ser respondida em 2 partes. 1) o uso de óleos de maior viscosidades na fase fria (era 5W e mudou para 10W) não é uma recomendação técnica/engenharia, mas sim uma solução paleativa – pelo menos a viscosidade na fase quente não foi alterada (continua um SAE 40). 2) Sim, você poderá ter problemas de baixar óleo no futuro quando as folgas aumentarem. Recomendo que você olhe no manual do seu veículo qual é o nível de baixa de óleo aceitável pela montadora (e não concessionária!) de abaixar nível; caso esteja baixando mais, estreite a conversa com a concessionária. Abraço!

  12. Jonas Gabriel says:

    Bom dia comprei um Vectra GT e está no óleo 15w40 semi, porém no manual consta o 5w30 api-sl posso voltar ao sintético mesmo não sabendo se o antigo dono usava?outra dúvida q muitos falam após tal kilometragem tem q ir mudando os tipo de óleo isso é verdade?ou é o óleo q está no manual a vida útil toda do motor?

    • Delton Stabelini Delton Stabelini says:

      Jonas, bom dia! Tudo bem? Sim, você pode voltar ao SAE 5W30. Recomendo que você utilize o Havoline Ultra S SAE 5W30. Com relação a mudar a viscosidade com o tempo, não é verdade. As folgas dos componentes internos não se alteram a ponto de ser necessário uma mudança no que foi especificado pela montadora. Ademais, mudar a viscosidade para maior gerará desgastes irreparáveis no longo prazo. Abraço!

  13. Maciel says:

    Em carros com maior Km, acima de 200 mil, é recomendável ou é prejudicial utilizar um óleo um pouco mais grosso, tipo ao invés de um 10w40, um 15w40? Ou dá pra continuar num 10W40 com aditivio da bardhal ou militec? Num óleo sintético teria necessidade de um aditivo?

    • Delton Stabelini Delton Stabelini says:

      Maciel, boa tarde. Tudo certo? Não é recomendável alterar viscosidade de óleo na fase quente (ultima dezena da faixa SAE), portanto permanece com um SAE 40. Com relação a viscosidade a frio, prefira sempre os de menor viscosidade, pois facilitação a partida fria. Com relação aos aditivos extra, sou taxativo: fuja deles! Além de muitos dos produtos mais famosos do mercado serem formulados com cloro ou bissulfeto de molibdênio, que após algum tempo se tornam danosos, os aditivos extras destroem o correto balanceamento dos óleos. Em resumo, melhora-se 1 propriedade e desregula-se outras 15. Fique fora dessa! Abraços.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *